A consolidação de Robson Bambu na zaga do Athletico

Compartilhe

Zagueiro aproveitou oportunidades na final da Copa do Brasil e anulou ataque adversário

Robson Alves de Barro, mais conhecido como Robson Bambu, o jovem zagueiro do Furacão, de 21 anos,  que em meio a críticas e desconfianças foi peça fundamental no elenco Rubro-Negro que se sagrou campeão da Copa do Brasil 2019.

 

Bambu chegou no Athletico após saída conturbada do Santos. No dia 22 de novembro de 2018, o zagueiro desembarcou em Curitiba como o primeiro reforço do Furacão para 2019. No início do ano, Bambu disputou o Campeonato Paranaense com o time de aspirantes e conquistou o primeiro título com a camisa do Athletico, vale lembrar que na Sulamerica, Bambu recebeu a medalha, mas não estava inscrito na competição.

 

No Campeonato Brasileiro deste ano, Bambu é peça no elenco principal e também foi na de aspirantes. No time de Tiago Nunes, disputou quatro partidas como titular, até o momento, já na equipe de Rafael Guanaes, atuou em dois jogos. Pela Libertadores, atuou por apenas por 18 minutos no jogo pela fase de grupos, contra o Boca Juniors, em plena La Bombonera, na Argentina.

 

Mas na Copa do Brasil, Robson Bambu mostrou seu devido valor. Após a suspensão de Thiago Heleno, pelo caso de doping, e não poder contar com Pedro Henrique, pois já havia atuado pelo Corinthians, a zaga rubro-negra ficou com poucas opções para o restante do torneio, após ter passado de fase contra o Fortaleza, classificando-se para as quartas de final, onde enfrentaria o Flamengo.

 

Na primeira partida contra os cariocas, na Arena da Baixada, Tiago Nunes iniciou o jogo com Halter e Léo Pereira, mas a dupla de zagueiros precisou ser mudada quando o camisa 33 do Furacão, sentiu uma lesão no tornozelo e precisou ser substituído, quando entrou Bambu e disputou seus primeiros 37 minutos de Copa do Brasil. A partida terminou em 1×1.

 

No Maracanã, onde foi disputada a segunda partida, Bambu iniciou de titular, ao lado de Léo. O camisa 14 fez parte da classificação do Furacão, nos pênaltis, após novamente o empate pelo placar de 1×1. Bambu, nesta partida, teve os números de oito cortes realizados e duas interceptações.

 

Pelas semi-finais, o Furacão enfrentou o Grêmio. Na partida de ida, na casa dos adversários, Bambu ficou no banco, mas após ao jogo, já sabia que seria titular no jogo da volta, após Léo Pereira, que estava ‘’ pendurado’’, receber o terceiro cartão amarelo e ficar suspenso para o jogo na Baixada.

 

Com a difícil missão de reverter o placar de 2×0, o Athletico foi a campo com uma linha defensiva inédita: Khellven, Bambu, Halter e Márcio Azevedo. Quarteto contestado pela mídia e torcida, mas mostrou seu valor, anulando os atacantes do Grêmio. Bambu nesta partida foi aclamado pela torcida, com cinco cortes, um chute travado e duas interceptações. O Athletico devolveu o placar do primeiro jogo, se classificou nos pênaltis e chegava a final, onde enfrentaria o Internacional.

 

Era momento de decisão, a primeira partida na Baixada e Tiago Nunes contava com a volta de Léo Pereira, foi onde o treinador bancou Bambu e colocou os dois como titulares, deixando Lucas Halter no banco. Bambu enfrentaria um dos maiores desafios da carreira, onde marcaria o atacante Paolo Guerrero, considerado um dos melhores centro-avantes da América, em plena decisão. O jogo que terminou com o placar de 1×0 para o Furacão, foi onde o zagueiro se destacou, marcando com excelência o peruano, participando no total de 11 cortes e uma intercepção de chute.

 

O momento de consolidação de Robson Bambu, foi definitivamente na partida da última quarta-feira (18), na grande decisão contra o Internacional, pelo jogo da volta. Beira Rio com 50 mil pessoas, e um início de jogo de pressão do time mandante, Bambu novamente ‘’ deixou o Guerrero no bolso’’, e ajudou a equipe se sagrar campeã da Copa do Brasil, pelo placar de 2×1. Nesta partida, o zagueiro chegou no seu maior número de cortes, 12 no total, dois chutes travados e uma interceptação. Nos minutos finais da partida, acabou levando um chute do próprio companheiro de time, Márcio Azevedo, que o deixou com o olho inchado.

 

Foto: Reprodução Sportv

 

No final da partida, em entrevista ao Sportv, Bambu destacou sua volta por cima no Furacão e a importância do título.

 

‘’ Momento muito especial para mim, cheguei aqui (no Athletico), tive minhas oportunidades, fiquei um tempo sem jogar, porém sempre acreditei que uma hora a chance ia aparecer de novo, e eu pude aproveitar da melhor maneira’’. O zagueiro completa dizendo que foi um momento que ficará marcado na vida dele, do torcedor e do grupo.

 

Dados: Sofascore.

Veja também