Afinal, em que patamar estamos?

Compartilhe

Após o título da Copa Sul-Americana, chegamos a qual nível de reconhecimento?

Vocês já pararam pra se perguntar em qual patamar estamos? Já entraram em uma roda de discussões com os amigos e amigas pra entender racionalmente onde o Athletico está inserido no cenário nacional, ou até internacional?

 

Bom, se ainda havia algum tipo de discussão a nível estadual (incrivelmente, alguns tentavam debater que os títulos estaduais do outro time da capital os colocavam à frente de nós), hoje já não existe mais. Então, chegamos minimamente ao patamar de nos compararmos com outros times nacionais, e é aí que o negócio fica complicado. O que levamos em consideração para a comparação entre os clubes?

 

Se considerarmos o ranking da CBF, através dos critérios deles, não paramos de subir, já atingimos a 8ª colocação, porém, estamos a frente do Internacional, clube que é campeão de todos os torneios grandes. É justo? Isso é uma questão muito relativa e pessoal pra cada um que for realizar este tipo de análise. Não cabe a mim definir quais fatores são esses e listar tudo que temos e tudo o que os nossos rivais nacionais tem. Prefiro provocar um pouco cada um de vocês, com questionamentos e reflexões. Afinal, o que define grandeza?

 

Será que eu posso dizer que estamos entre os considerados 12 grandes da mídia, transformando em 13 grandes?

 

Eu posso dizer que somos maiores que o Vasco da Gama? Clube no qual hoje tem uma estrutura péssima, oscila em anos ruins e razoáveis, mas que tem uma baita história com 4 campeonatos brasileiros, copa do brasil, libertadores e mundial?

Eu posso dizer que somos maiores que o Fluminense? Clube que quase não tem estrutura, tem problemas pra pagar seus jogadores e funcionários e apesar de não ter título internacional, tem 4 campeonatos brasileiros e 1 copa do brasil.

Posso estender a discussão pra comparações com Botafogo também, já que é considerado pela mídia como um dos 12 grandes e também tem mais títulos nacionais em comparação aos nossos.

Aos outros 9, o que nos difere deles? Só a história? E a perspectiva de futuro de cada um, conta?

 

O fato é que o Athletico está mudando de patamar, galgando aos poucos o seu lugar a nível nacional e continental, realizando contratações – ou especulações – mais arrojadas (menos Tartá, Rodrigo Tiuí, Jorge Preá e mais Marco Ruben, Tomas Andrade e Kelvin), mantendo o seu nível de protagonismo nas inovações dentro do mundo do futebol, utilizando com muita inteligência os jogadores de base, entre outros tantos feitos que terão como fim, o nosso futebol.

 

Tenho certeza que nos desprendemos dos considerados pequenos, aqueles que ficam igual um ioiô entre a série A e a série B. Mas, temos toda essa bala pro eixo do mal nos considerar um dos gigantes do nosso futebol? Ou estamos em um limbo entre os pequenos e os gigantes que tem uma sala de troféus lotadas de campeonatos nacionais e internacionais?

 

Eu acredito que estamos em um estágio muito próximo ao protagonismo no futebol, de forma correta e direcional, que nos levará a ter essa sala de troféu repleta de títulos importantíssimos, mas temos que levar em consideração que ainda faturamos como pequenos e temos que ter muita consciência das nossas possibilidades. Somos dependentes dos sócios, que asseguram uma renda mensal ao clube, até por isso, caso não seja sócio e tenha a possibilidade financeira, SE ASSOCIE. Também dependemos muito de inovações, que quase sempre serão contestadas pela torcida e pela mídia. Vejo que se continuarmos nessa estratégia adotada pela diretoria e seguirmos o caminho sólido que estamos tendo nessa notável evolução dos últimos anos, teremos o reconhecimento de todos.

 

E pra você? Em que patamar estamos?

Veja também