Athletico e o novo passo para a internacionalização

Compartilhe

Com dois títulos internacionais em menos de um ano, Furacão demonstra avanço e preparo para o futuro

A internacionalização é tema de constantes estudos de clubes para expandir sua marca e, consequentemente, crescer. Muito se discute, no futebol brasileiro, metodologias para se alcançar este objetivo. No entanto, em razão de uma visão imediatista inserida em grande parte dos dirigentes ligados ao futebol, os avanços não ocorrem da maneira ideal.

 

Já reconhecido pelas suas ações de pioneirismo no futebol, o Athletico tem a internacionalização de sua marca como uma das chaves para buscar o crescimento fora do apelo midiático nacional. O clube demonstra que está cada vez mais apto para que este processo ocorra, com um modelo de gestão que o prepara há décadas para este objetivo. 

 

Como o Furacão não possui a mesma visibilidade dos tradicionais grandes brasileiros e se encontra deslocado dos maiores centros de futebol, as estratégias para captar recursos financeiros devem ser mais abrangentes. Dentre os já consolidados projetos de base, arena multieventos e parcerias estratégicas, a expansão da marca Athletico no mercado global se consolida como mais uma tática para se alcançar o protagonismo.  

 

Trazendo o primeiro título intercontinental de sua história com a Levain Cup (antiga Copa Suruga) em uma sonora goleada por 4×0, o rubro-negro dá um passo importante para sua internacionalização. Vale ressaltar que, mesmo que não possua o peso dos tradicionais campeonatos sul-americanos disputados, esta taça representa um avanço rubro-negro no cenário global, além de garantir mais quase três milhões de reais nos cofres atleticanos. Em tempo, é um título oficial reconhecido pela FIFA, que somente campeões são credenciados a disputar.

 

Para o resultado final – um título – é necessário compreender que um clube também opera em um padrão mercadológico e estratégico. O futebol, principal e mais importante produto deste sistema, não se sustenta por si só. Grandes investimentos são necessários para que o time, em campo, mantenha-se em alta performance – que vão desde os fatores extracampo e estruturais até a contratação de jogadores de renome, como a negociação com Adriano. Ocorre, porém, que não se faz investimentos sem recursos, e as estratégias para conseguí-los são cuidadosamente planejadas e executadas. 

 

Medidas como a mudança na identidade visual, disputas de campeonatos importantes, parcerias com clubes do exterior e até mesmo a contratação de jogadores estrangeiros representam os esforços demandados pelo Athletico em tornar seu produto atrativo para o consumidor de fora do Brasil. No continente europeu, por exemplo, um dos fatores decisivos para o sucesso dos clubes é a atuação em mercados globalizados. Muitos deles possuem mais torcedores que a própria população de seu país. 

 

Regionalmente, a fatia de mercado pertencente ao rubro-negro possui limitações. A perspectiva para atingir o protagonismo no futebol, portanto, é não se limitar ao crescimento local. Títulos e boas campanhas fora do país fortalecem, cada vez mais, a identidade do Furacão. E demonstram ser mais um dos meios para a formação de um clube vencedor. Preparado, o Athletico já provou estar.

Veja também