Athletico contrata mulher para administrar futebol masculino

Compartilhe

Mayara Bordin é ex-jogadora, foi volante da seleção e chegou ao Furacão em meio à conquista da Copa do Brasil

O Athletico Paranaense, sob a diretoria de futebol de Paulo André, tomou mais uma ação revolucionária no cenário dos clubes brasileiros: contratou uma mulher, ex-jogadora da seleção, para ser supervisora administrativa do departamento de futebol masculino.

 

Mayara Bordin encerrou sua carreira de jogadora aos 32 anos e foi contratada pelo Furacão, em plena conquista de Copa do Brasil, para o departamento de futebol masculino, sendo a primeira mulher a chegar a está altura.

 

Ser a nova funcionária do Furacão não foi a primeira ação de Mayara, que é natural de Xanxerê (SC), que abriu portas às mulheres no futebol. Em 2015, ela foi a responsável por levar o projeto de formação de uma equipe feminina ao Corinthians, onde passou a jogar logo em seguida. Depois de ser Campeã da Copa do Brasil pelo time, Bordin seguiu para a Espanha, onde encerrou sua carreira no Málaga.

 

E foi depois de sua última temporada que a atleta se tornou estagiária do Athletico Paranaense, sendo contratada efetivamente uma semana antes do clube vencer a Copa do Brasil.

 

“Cheguei na hora boa, né? Ninguém pode dizer que eu sou pé frio!”

 

 

“Estou iniciando uma nova trajetória que, se bem sucedida, poderá, sim, abrir portas para que mais mulheres e ex-atletas se aventurem por esse caminho”, declarou Mayara em entrevista ao Globoesporte. A jogadora disse também que esta foi a decisão mais difícil que ela já tomou e que espera que outros clubes sigam o exemplo do Furacão.

 

“Sou grata ao Athletico pelo pioneirismo e pela oportunidade, espero que outros clubes também se abram para este tipo de iniciativa”

 

Paulo André, que assumiu a diretoria geral do Clube depois de se aposentar como jogador durante a Copa América, disse que a ação representa a identidade do Athletico de ser alinhado aos novos tempos dentro e fora de campo.

 

“Eu vejo esse movimento no futebol e na sociedade como natural, irreversível. Para nós, o que importa é que as pessoas que escolhemos tenham a capacidade de compartilhar sua experiência, seu conhecimento e sua disposição em resultado operacional e desportivo. E isso independe de gênero, raça ou idade”- declarou o diretor em entrevista.

 

A ex-volante iniciou sua estudou sua carreira durante sua graduação na Florida International University (EUA), onde chegou a disputar a primeira liga de futebol feminino. Enquanto jogava, estudou marketing esportivo e gestão esportiva em curso ministrado pelo Barcelona.

 

Em campo Mayara Bordin foi bicampeã da Copa do Brasil pelo Foz (2013) e pelo Corinthians/Audax (2016), além de campeã brasileira pelo Centro Olímpico (2013). Ela foi bicampeã do Torneio Internacional de Futebol Feminino pela seleção e vicecampeã da UEFA Champions League, pelo Tyreso, da Suécia.

Veja também