Athletico empata com o Ceará e se mantém no G6

Compartilhe

Com o time completamente reserva, Furacão sai do Castelão sem fazer ou levar gols em mais uma atuação ruim

Na noite deste sábado (27), o Athletico se segurou e conseguiu um empate por 0 a 0, fora de casa, contra o Ceará e se mantém no G6 com 39 pontos. Grande parte dos titulares nem viajaram para Fortaleza. E em uma partida de qualidade bem questionável, o Furacão volta para Curitiba com mais um ponto garantido fora de casa. 

Visando o confronto decisivo contra o Palmeiras, semifinal da Libertadores durante a semana, o Furacão foi a campo com um time completamente reserva. Do goleiro ao centroavante, nenhum titular foi escalado para começar jogando na Arena Castelão. Dos considerados titulares, apenas Pablo e Cuello estavam no banco do Athletico. Felipão chegou a levar alguns jogadores do Sub-20 para completar o elenco. 

Primeiro Tempo

Em busca de entrar novamente no G4 do Brasileirão e uma recuperação após duas partidas sem vencer, o Athletico iniciou a partida com Anderson no gol, Orejuela e Pedrinho nas laterais, Nico Hernández e Matheus Felipe na zaga, Matheus Fernandes, Erick (que completava seu centésimo quinquagésimo jogo com a camisa do rubro-negro) e Vitor Bueno formando o meio de campo, Pedrinho e Rômulo caindo pelas pontas e Vitor Roque no ataque. O time do Ceará começou pressionando nos minutos iniciais e lançou algumas bolas na área do Furacão, em uma delas chegou a assustar em cabeçada de Vásquez, onde Anderson fez ótima defesa. Logo após, o Furacão respondeu em uma jogada que Vitor Bueno tentou finalizar de letra. E a partir daí, os reservas do Furacão ensaiaram um controle da partida, chegando ao ataque e levando algum perigo à defesa cearense. O jogo era muito travado, com pouco tempo de bola rolando. O Ceará se arrumou e começou a tomar frente nas jogadas ofensivas, continuava a insistir com bolas alçadas na área e assustou novamente a defesa do Athletico em escanteio fechado onde Mendoza cabeceou na trave. 

O Furacão tentava responder em lançamentos longos buscando o contra-ataque, mas errava muito na construção. Os laterais sofriam tanto defensivamente na marcação, quanto ofensivamente para construir as jogadas, principalmente com Orejuela pelo lado direito. Já aos 44 minutos, o Athletico conseguiu encaixar um bom contra-ataque, onde Rômulo conseguiu ganhar na corrida e tocar para Vitor Bueno que bateu bonito, de primeira, mas o goleiro João Ricardo salvou e colocou para fora. Com apenas um minuto de acréscimo, o jogo foi para o intervalo em 0 a 0. 

Segundo Tempo

O Athletico iniciou o segundo tempo com uma alteração realizada pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Ainda no intervalo, Pablo entrou substituindo Vitor Roque. O time continuou mal, não conseguindo encaixar nenhuma jogada e dando muito a bola para o Vôzão jogar. Aos 18 minutos, entraram Léo Cittadini, no lugar de Vitor Bueno, e Cuello, substituindo Vitinho. Nada dava certo no Furacão, a quantidade de passos errados na transição ofensiva era muito grande. As bolas na área continuavam a assustar a defesa atleticana, em toda jogada aérea, nossos defensores pareciam estar batendo cabeça. Matheus Felipe salvou uma bola quase na linha com a coxa, depois de uma falta batida por Vina. O Furacão sofria com os ataques construídos pelo Ceará, e mesmo quando tentava criar algo, acabava perdendo a bola e gerando contras-ataques também para os cearenses. Nada dava realmente certo para o Athletico. Aos 45 minutos, Orejuela saiu sentindo e Bryan Garcia finalmente fez sua estreia com Felipão. E foi isso, aos 51 minutos se encerrou a partida com um 0 a 0 no placar. O Athletico saiu no lucro com esse empate fora de casa, jogo ruim e realmente para ser esquecido. 

O Furacão volta a campo para a partida mais importante da história recente do time, contra o Palmeiras pela semifinal da Libertadores na terça-feira e enfrenta no próximo sábado o Fluminense pelo Campeonato Brasileiro. 

Veja também