Athletico não sai do zero com Wilstermann na Baixada, mas garante classificação na Libertadores

Compartilhe

Furacão não consegue furar retranca boliviana, porém, garante vaga no mata-mata

O Athletico Paranaense empatou em 0 a 0 com o Jorge Wilstermann, da Bolívia, na noite desta terça-feira, na Arena da Baixada, pela 5ª rodada da fase de grupos da Libertadores. Apesar da igualdade, o Furacão confirma sua classificação para as oitavas de final do torneio sul-americano com uma rodada de antecedência.

 

Com o resultado, o Rubro-Negro mantém a liderança do grupo C, agora com 10 pontos. O segundo colocado é justamente o Wilstermann, que chega aos sete tentos, seguido de perto por Peñarol, do Uruguai, e Colo-Colo, do Chile, ambos com seis.

 

O próximo desafio do Rubro-Negro será no próximo domingo, diante do Flamengo, fora de casa, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Pela Libertadores, o compromisso vai ser com o Peñarol em Montevideo, no dia 20 de outubro.

 

Primeiro tempo
A partida começou complicada para o Athletico. A equipe visitante iniciou o duelo com os seus 11 jogadores atrás da linha da bola, esperando o Furacão se lançar ao ataque. Com dificuldades para atravessar a defesa boliviana, os comandados de Eduardo Barros apostavam nas bolas paradas, que carimbavam os defensores do Jorge Wilstermann ou morriam nas mãos do goleiro.

 

A primeira chance real de gol do Rubro-Negro saiu dos pés de Abner, aos 17 minutos. O lateral chutou cruzado para dentro da área, a bola desviou no zagueiro Zenteno e passou muito perto da trave esquerda de Giménez.

 

Aos 24, Erick aproveitou um corte mal feito, dominou dentro da área e finalizou. A bola desviou nas costas de um zagueiros do Wilstermann e novamente passou muito perto da meta.

 

Na segunda metade da primeira etapa, o Furacão seguia a tentar furar a retranca. Mesmo sem criar oportunidades claras lá na frente, o Athletico não foi ameaçado, e Santos sequer foi acionado.

 

Segundo tempo
Sem mudanças no intervalo, o Athletico voltou com a mesma gana para sair com os três e já garantir a primeira colocação da chave C. Logo no primeiro minuto, Fabinho desperdiçou, talvez, a chance mais clara. Abner achou o camisa 37 sozinho na segunda trave, que furou.

 

Sem espaço para criar chances com a bola no chão, o Furacão usou e abusou das bolas levantadas na área, sem sucesso. Diante do cenário estabelecido, Eduardo Barros chamou Bissoli e Jorginho. No primeiro lance da dupla, quase a inauguração do placar.

O tempo passava, e o Rubro-Negro não conseguia transformar sua superioridade no jogo em bolas na direção do gol. O Wilstermann continuava na retaguarda, explorando os contra-ataques. Santos foi acionado por duas vezes.

 

Erick também deu trabalho para o goleiro Ojeda, substituto de Giménez, que saiu machucado nos acréscimos do primeiro tempo. O meio-campo atleticano recebeu de Jorginho e cabeceou em cima do arqueiro.

 

Ao todo, foram 19 chutes do Athletico contra apenas três dos visitantes. Mais importante que o resultado em si é a tabela. Furacão em mais um mata-mata de Libertadores.

 

FICHA TÉCNICA
Athletico 0X0 Jorge Wilstermann (Bolívia)

ATHLETICO: Santos, Jonathan, Pedro Henrique (Lucas Halter), Thiago Heleno e Abner; Wellington (Bissoli), Erick, Christian e Léo Cittadini (Geuvânio); Fabinho (Jorginho) e Pedrinho (Lucho González)
Técnico: Eduardo Barros

JORGE WILSTERMANN: Giménez (Ojeda), Banegas, Zenteno, Montero e Pato Rodríguez; Justiniano, Torrico, Chávez (Orfano) e Aponte (Vaca); Serginho (Melgar) e Gilbert Álvarez (Arrascaita)
Técnico: Christian Díaz

Veja também