Athletico perde para o Melgar e liga alerta na Sul-Americana

Compartilhe

Furacão vai precisar tirar três pontos de diferença da equipe peruana, além de saldo de gols

O Athletico perdeu para o Melgar, do Peru, por 1 a 0, na noite desta terça-feira (4), em Lima, pela terceira rodada da Sul-Americana. O resultado fez o Furacão se manter na segunda colocação do grupo D com seis pontos, agora três atrás do próprio time peruano.

Mais uma vez sem mostrar um bom futebol, o Furacão acabou derrotado fora de casa e liga o alerta para a sequência no torneio continental. Agora, o rubro-negro vai precisar contar um tropeço do Melgar e tirar os três tentos para se classificar. Hoje, além da pontuação, o time do Peru tem três gols a mais de saldo.

Na próxima terça-feira, daqui uma semana, o Athletico volta aos gramados pela Sul-Americana, em Caracas, às 19h15, diante do Metropolitanos. Um triunfo vai ser vital para manter viva a chance de classificação.

O próximo desafio do Furacão será na quinta-feira (6), no clássico Atletiba, pelo Paranaense. O confronto será disputado com o time aspirante, às 17h40, fora de casa.

PRIMEIRO TEMPO


Apesar do equilíbrio do início do jogo, foi o Athletico quem criou as duas primeiras oportunidades. Abner achou boa bola no meio em Nikão, que girou e chutou para fora. Pouco depois, Vitinho invadiu a área, mandou para o meio, mas a zaga peruana afastou antes de chegar em Kayzer. Ainda assim, os primeiros minutos foram de igualdade, equipes se estudando.

Os donos da casa ameaçaram com sua referência, o centroavante Cuesta, aos 18. Alejandro Ramos levantou na entrada da pequena área, o camisa 9 se antecipou e cabeceou para fora. Após quatro minutos, Ibérico aproveitou bola sobrada e bateu firma para forçar boa defesa de Santos.

A resposta veio aos 28 minutos. Nikão puxou contra-ataque em velocidade e esticou para Abner. O defensor chegou na linha de fundo, mandou para o meio, a bola cruzou a área e Renato Kayzer acabou travado.

A reta final do confronto em Lima ficou marcada por um aumento da intensidade do Furacão. O time de António Oliveira tentou acelerar algumas bolas pelas pontas, apostar no jogo vertical, conseguindo pressionar o Melgar, mas sem assustar Cáceda. O Athletico ficou mais com a bola, mas encontrava dificuldades para atravessar a defesa adversária.

SEGUNDO TEMPO


A etapa final começou desastrosa para o rubro-negro. Aos quatro minutos, o Melgar abriu o placar com Bordacahar. Reyna avançou com grande facilidade pela esquerda, cruzou, Ibérico desviou e o atacante completou para o gol em falha generalizada do sistema defensivo atleticano.

O Athletico continuava a ter problemas para criar chances reais de gol. Renato Kayzer chegou a roubar uma bola na troca de passes errada entre os zagueiros do adversário, mas desperdiçou. Para tentar solucionar o problema, António Oliveira colocou Jadson no lugar de Cittadini, que mais uma vez não fez um bom jogo.

Sem faltava criatividade no Furacão, sobrava perigo nas escapadas do Melgar. Orzán tirou tinta da trave de Santos, enquanto Cuesta colocou o arqueiro para trabalhar.

A segunda boa chegada brasileira foi aos 30 minutos. Sim, aos 30 minutos do segundo tempo. Richard fez boa jogada, Abner apareceu e serviu Erick. O meio-campo apareceu na área como elemento surpresa e finalizou por cima da trave.

Confortável com o placa mínimo, o Melgar se fechou de vez e esperava ansiosamente o apito final. O Athletico esboçou uma pressão, mas faltavam recursos, usando e abusando do “chuveirinho”. A alternativa não foi suficiente e assim conhecemos a primeira derrota na Copa Sul-Americana, a maior ambição da temporada. Alerta mais que ligado para a sequência.

FICHA TÉCNICA
Melgar (PER) 1×0 ATHLETICO

Local: Estádio Nacional do Peru, em Lima
Data: 04 de maio de 2021, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Betancur (COL)
Assistentes: Wilmar Navarro (COL) e David Fuentes (COL)
Cartão amarelo: Nikão (Athletico)
GOL: Bordacahar, aos 4 do segundo tempo (Melgar)

MELGAR: Cáceda; Alejandro Ramos, Fabio Pereyra, Luján e Reyna; Arias, Orzán e Joel Sánchez (Tandazo); Bordacahar, Iberico e Cuesta
Técnico: Néstor Lorenzo

ATHLETICO: Santos; Erick, Thiago Heleno, Pedro Henrique e Abner; Richard, Christian (Fernando Canesin) e Léo Cittadini; Vitinho (Khellven), Nikão e Renato Kayzer (Matheus Babi)
Técnico: António Oliveira

Veja também