Athletico tem atuação muito abaixo da expectativa na estreia; Confira as notas

Compartilhe

Em um jogo de pouca inspiração, Athletico perde para o Cascavel CR na Arena

O Athletico começou mal o Campeonato Paranaense de 2019, derrotado em casa por 1 a 0 pelo Cascavel Clube Recreativo. Após levar o gol, aos 12 do primeiro tempo, o Furacão sentiu e muitos jogadores demonstraram nervosismo. Além do aspecto psicológico, a equipe sentiu também a parte física e parece ainda não entender direito as ideias de Rafael Guanaes.

 

O adversário deste sábado (19) não chegava a ser um time bagunçado por completo, mas dava muito espaço e tinha as linhas de defesa facilmente desorganizadas por triangulações e passes mais objetivos, que quebravam as linhas. Nas poucas vezes que o Athletico acelerou as jogadas encontrou brechas nas costas dos laterais adversários, mas os jogadores athleticanos sempre tomavam a pior decisão na hora da conclusão da jogada.

 

O gol do Cascavel saiu aos 12 minutos de partida, quando Robson Bambu – com uma estreia para ser esquecida – espanou um cruzamento que vinha da direita para trás. Léo rebateu para o meio da área e, após um bate-rebate, Taira mandou uma bomba pra dentro do gol. O Furacão sentiu o gol e jogadores como Juninho, Robson Bambu e Nicolas passaram a errar muito mais.

 

A equipe como um todo não atuou bem, um pouco espaçada e desorientada com as várias variações táticas utilizadas pelo treinador ao longo das partidas. O aspecto técnico também influenciou no placar da partida, já que individualmente jogadores ofensivos renderam muito abaixo do que se esperava deles.

 

Confira as notas:

Léo (5) – Não foi muito acionado durante o jogo. A bola do gol é perdoável, visto que o “arremate” foi feito pelo seu companheiro de zaga Robson Bambu. Na saída de bola Léo se mostrou um goleiro de bom passe e inteligente na tomada de decisão, mesmo que o Cascavel não apertasse muito na saída.

 

Reginaldo (4) – Naturalmente é preciso ser mais crítico com os jogadores que são peças no elenco principal, visto isto, o lateral teve uma atuação muito abaixo do que se espera de um reserva direto. Aproveitamento baixíssimo nos cruzamentos e afobação para concluir as jogadas, mesmo que sem ritmo de jogo, precisa melhorar consideravelmente para justificar sua titularidade. A bola parecia queimar no pé dele, muito mal.

 

Éder (6) – Fez uma partida regular, não comprometendo em nenhum momento. Não teve culpa no gol e acertou a maioria dos passes na hora de sair para o jogo. Zagueiro seguro, precisa melhorar nas bolas aéreas, mas tem um bom passe e se posiciona bem.

 

Robson Bambu (4) – Estreia para ser esquecida por Bambu. Falhou de maneira grosseira no gol do Cascavel, ficou muito nervoso após o erro e passou a dar chutões desnecessários e perder jogadas com facilidade para os atacantes adversários. Erros de passes e insegurança na marcação fizeram ele ser substituído no intervalo por Erick, assim Alex Nagib passou a jogar de zagueiro no lugar de Bambu.

 

Nicolas (4) – Tentou muitos cruzamentos, acertou poucos. Nervoso nos passes e ainda sem ritmo de jogo. É outro jogador que precisa ter uma melhora considerável para que se justifique sua titularidade, em sua reestreia não agradou.

 

Alex Nagib (6) – Parece ser um jogador muito calmo com a bola no pé. Enquanto atuou como volante fez contribuições interessantes organização da saída de bola, facilitando o trabalho dos meias de articulação. Na marcação foi bem seguro, principalmente quando jogou de zagueiro, mesmo não sendo muito acionado no segundo tempo.

Marquinho (6) – Foi o jogador que mais participou do jogo, tentando articular a saída da defesa e contribuindo em jogadas ofensivas. Hora pisava na área para tentar aproveitar os cruzamentos que nunca eram certos, hora sendo o meia articulador e dando a assistência. Nítido que está muito fora de ritmo e de forma, mas deve melhorar e ser uma peça importante na sequência.

 

Matheus Anjos (6,5) – Uma ilha de qualidade na equipe de ontem. Foi o jogador que mais acertou passes e o mais agressivo também. Sempre que a bola passava pelo seu pé a jogada tinha continuidade positiva. Participou bastante na construção do jogo e se revesou bem com Marquinho na função de articulador. Chamou a responsabilidade e fez uma partida boa, precisa ganhar mais ritmo e continuar melhorando a parte física.

 

Bruno Rodrigues (5) – Tomou todas as decisões erradas que podia ter tomado na hora de finalizar as jogadas, mesmo assim foi participativo ao longo da partida, sendo o atleta que mais arrematou. Mesmo errando muito, criou oportunidades e se movimentou bem, caindo pelos dois lados e fazendo algumas jogadas pelo meio também. Fez uma partida ruim ontem, mas pode melhorar se ganhar confiança e tomar as decisões certas.

 

Juninho (3) – Juninho foi o pior jogador do Athletico na partida de ontem. Aparentemente sua única virtude é a velocidade, que ontem não foi nada útil. Errou passes, dribles e finalizou poucas vezes. Tecnicamente parece que está abaixo dos demais jogadores, principalmente depois que Anderson Plata e João Pedro entraram na partida.

 

Bergson (4) – Usando o mesmo critério da avaliação feito com Reginaldo, Bergson precisa jogar muitos mais para que justifique ser o atacante reserva em um ano com tantos jogos. Não faltou entrega para o atacante, buscou se aproximar dos meias quando a bola não ia até ele e tentou sair da área para criar mais oportunidades. Foi muito mal nas bolas aéreas e conseguiu concluir poucas jogadas, porém ainda está voltando ao melhor condicionamento físico e técnico. Precisa melhorar.

 

Erick (6) – Volante habilidoso e de mobilidade, fez boas jogadas individuais e pareceu ser um jogador muito calmo com a bola no pé. Tem um bom passe e marca com qualidade, mesmo não sendo um volante de marcação. Fez uma partida discreta, não comprometendo e ajudando na organização das jogadas ofensivas e saída de bola. Deve ganhar mais espaço na equipe no decorrer da competição. Entrou no Lugar de Robson Bambu.

 

Anderson Plata (6,5) – Mesmo jogando poucos minutos é nítida a diferença técnica entre Plata e Juninho. Entrou indo para cima dos defensores em todas as jogadas. Conseguiu alguns bons passes e quebrou as linhas do Cascavel em várias oportunidades, seja com passes ou jogadas de infiltração. Além disso criou oportunidades em jogadas individuais. Será titular com facilidade neste time e deve demonstrar seu valor neste ano. Entrou no lugar de Juninho.

 

João Pedro (6) – Entrou com personalidade e também mostrou que vai ser titular naturalmente deste time. Acertou três passes que deixaram os companheiros na cara do gol e ainda teve uma finalização bloqueada. Por mais que tenha jogado poucos minutos demonstrou a diferença técnica que tem em relação aos seus concorrentes. Entrou no lugar de Matheus Anjos (Guanaes foi vaiado por tirar Anjos, torcida queria ver o meia atuando ao lado de João Pedro).

 

Rafael Guanaes (4) – Um resultado inimaginável e que justifica a nota baixa, porém o treinador não é o culpado pela derrota. Existem aspectos interessantes na sua maneira de jogar, com muitas variações táticas e um jogo que preza pelo passe e saída de bola curta. Sua proposta é parecida com o estilo de jogo que o Athletico busca, mas os jogadores parecem ainda não entender por completo as ideias e ajustes precisam ser feitos, principalmente na parte ofensiva. As jogadas de cruzamento também precisam ser mais efetivas se forem ser as principais armas ofensivas, ou substituídas por outras jogadas, visto que na partida de estreia o aproveitamento em finalizações originadas em jogadas de cruzamento foi quase nulo.

Veja também