Athletico tenta vencer argentinos pela primeira vez em Curitiba

Compartilhe

Na CONMEBOL Libertadores, Furacão jogou duas vezes em casa e foi derrotado em ambas

A histórica partida entre Athletico e Boca Juniors que será disputada nessa terça (2) traz, além da necessidade do Furacão fazer os três pontos para assumir a liderança do grupo G, a necessidade de quebrar outro tabu. Como mandante o rubro-negro ainda não venceu equipes argentinas na CONMEBOL Libertadores.

 

A história do Athletico com equipes argentinas na Libertadores é recente. Em 2014, o Furacão enfrentou o Vélez Sarsfield. A época, a equipe que tinha Lucas Pratto (ex-São Paulo, Atlético Mineiro e River) e Mauro Zárate (atualmente no Boca Juniors) bateu o rubro-negro no dia 26 de março – data do aniversário do Clube – na Vila Capanema por 3 a 1.

 

Em 2017 o confronto foi contra o San Lorenzo. Após vencer na Argentina, com gol de Lucho González, o Furacão só precisava bater o “time do Papa” em casa para se classificar direto às oitavas. Mas o time comandado pelo técnico Diego Aguirre (ex-São Paulo, Internacional e Atlético Mineiro) derrotou o Athletico, dentro da Baixada, por um sonoro 3 a 0 e adiou a classificação atleticana para a última partida, disputada no Chile contra a Universidad Católica.

 

A única vitória contra argentinos em competições CONMEBOL foi contra o Newell’s Old Boys, na Sul-Americana, do ano passado. Ainda com Fernando Diniz no comando, o Furacão passou pela equipe de Rosario pelo placar de 3 a 0 na Baixada. Em outro confronto histórico disputado no Caldeirão, o Athletico ficou no empate contra o River Plate, por 2 a 2, pelas oitavas de final da Sul-Americana 2006. O resultado classificou a equipe que havia vencido por 1 a 0 dentro do Monumental de Núñez.

 

Mas contra o Boca, o Athletico já venceu em Curitiba. No Torneio Sul-Atlântico de 1973, uma espécie de torneio amistoso e não vinculado à CONMEBOL, o rubro-negro bateu o time xeneize por 2 a 1. A partida foi disputada no Couto Pereira. Saiba mais sobre essa partida clicando aqui.

Veja também