Do Alfredo Gottardi para a Copa América

Compartilhe

Fernandinho e Alex Sandro: jogadores saíram da base do Athletico, fizeram carreira no estrangeiro e hoje defendem a amarelinha

A Copa América está prestes a começar e o primeiro jogo do Brasil será na noite desta sexta-feira (14), contra a Bolívia, no Morumbi, às 21h30. A competição já está na sua 46ª edição, sendo a quinta vez realizada no Brasil, que possui oito títulos, atrás do Uruguai (15) e Argentina (14).

 

As seleções da América do Sul, com os dois convidados Japão e Catar, entrarão em campo mais uma vez para disputar o título. Dentre os jogadores que estarão na disputa pela Seleção Brasileira, nós também teremos dois representantes conhecidos por aqui. Alex Sandro e Fernandinho não só usaram a camisa rubro-negra, como também foram formados na base do Athletico.

 

Fernandinho

 

Foto: Site oficial/Mauricio Mano

 

Fernando Luiz Roza tem 34 anos e nasceu em Londrina. Começou a dar os primeiros passos como jogador no PSTC, ainda em 1999, porém o clube ainda não possuía instalações próprias. Mesmo assim, conquistou o Campeonato Paranaense Juvenil e a Taça Londrina Juvenil, em 2001, sendo artilheiro da competição na lateral direita. No mesmo ano, veio para a base do Athletico, em setembro. Com capacidade de jogar tanto na lateral como no meio ou ataque, o então jovem jogador se tornou uma promessa e compôs o elenco Campeão Brasileiro, além de ganhar o Paranaense em 2001, 2002 e 2005 como titular.

 

A estreia mesmo foi apenas o dia oito de abril de 2003, em um jogo contra o Paraná. Na época o técnico Oswaldo Alvarez o promoveu para o elenco profissional. Marcou seu primeiro gol e começava ali a jornada para se tornar um atleta mundial. Foi um dos nossos principais jogadores no vice-campeonato Brasileiro em 2004, na campanha da Libertadores em 2005 e na vitória estadual em 2005 sobre o Coritiba.

 

Aliás, no mesmo ano do Campeonato Paranaense, acabou se transferindo para o Shaktar Donetsk, onde ficou até junho de 2013. Na Ucrânia virou uma verdadeira estrela e o melhor jogador brasileiro da história do time. Conquistou seis títulos do Campeonato Ucraniano (2005-2006, 2007-2008, 2009-2010, 2010-2011, 2011-2012 e 2012-2013), quatro Copas da Ucrânia (2007 -2008, 2010-2011, 2011-2012 e 2012-2013), três Supercopas da Ucrânia (2008, 2010 e 2012) e a Liga Europa (2008-2009). Sua trajetória foi eternizada em um documentário, chamado Ferna7.

 

Depois, foi contratado pelo Manchester City por aproximadamente R$ 112 milhões, transferência que entrou para a lista das 30 maiores da história do futebol. Defende o clube até hoje, onde conquistou no primeiro ano uma Premier League e atualmente já possui três Campeonatos Ingleses, quatro Copas da Liga Inglesa, uma Supercopa da Inglaterra e uma Copa da Inglaterra.

 

Ídolo na Ucrânia e na Inglaterra, Fernandinho não é visto com bons olhos no Brasil. Depois do 7 a 1 contra a Alemanha, foi visto como um dos principais culpados da goleada e foi muito criticado. Chegou a pedir ao técnico Tite para não ser mais convocado e teve o pedido atendido por algumas vezes. Agora, terá a chance de provar seu futebol na Copa América, pois é o mais cotado para assumir a posição de Arthur nesse primeiro jogo.

 

Alex Sandro

 

Foto: Reprodução

 

Alex Sandro Lobo Silva nasceu em Catanduva, tem 28 anos e atualmente está na Juventus. O lateral-esquerdo cresceu no CT do Caju. Desde 2005 nas categorias de base, foi para o elenco profissional em 2008, com apenas dezessete anos. Em 2010 foi para o Santos e, no ano seguinte, para o Porto por nove milhões de euros.

 

Em 20 de agosto de 2015 a Juventus trouxe Alex para jogar por cinco temporadas. A negociação foi de 26 milhões de euros. Ficou como reserva de Patrice Evra, mas no segundo ano assumiu a titularidade. Fez grandes atuações e foi chamado como “melhor lateral-esquerdo do mundo” pelos italianos.

 

Em títulos nos clubes tem um Capeonato Paranaense (2009), dois Campeonatos Paulistas (2010 e 2011), uma Copa do Brasil (2010), uma Libertadores (2011), dois Campeonatos Português (2011-12 e 2012-13), quatro Campeonatos Italianos (2015–16, 2016–17, 2017–18 e 2018–19), três Copas Itália (2015–16, 2016–17 e 2017–18) e uma Supercopa da Itália (2018).

 

A trajetória na Seleção Brasileira começou também no Sub-20, onde ganhou o Campeonato Sul-Americano e a Copa do Mundo da categoria em 2011. Foi também medalha de prata nas Olimpíadas em Londres (2012). A estreia na seleção principal foi em 10 de novembro de 2011, em um amistoso contra o Gabão. Em setembro de 2018 foi chamado novamente para jogar os amistosos contra El Salvador e Estados Unidos.

Veja também