Duelo de rubro-negros: confira a análise para Athletico x Flamengo

Compartilhe

Depois do intervalo para a Copa América, saiba as expectativas e mudanças no Furacão e um provável Flamengo para a disputa na Copa do Brasil

A primeira partida das quartas de final da Copa do Brasil, entre Athletico e Flamengo, acontecerá quarta-feira (10), às 21h30, na Arena da Baixada. Depois de um período de intervalo nas competições de clubes, os rubro-negros chegam para o confronto com mudanças.

 

As principais alterações são nos elencos. O Furacão, por exemplo, não conta com Renan Lodi, vendido para o Atlético de Madrid. No lado carioca será a estreia do treinador Jorge Jesus, com apenas 20 dias de trabalho.

 

Dúvidas no lado atleticano

 

Além do desfalque na lateral, o Athletico busca outras reposições. A defesa do Athletico é uma dúvida. Lucas Halter sofreu lesão e tenta se recuperar a tempo de estar à disposição para a partida. Se considerar o jogador como desfalque, a provável zaga atleticana será: Léo Pereira e Robson Bambu (zaga titular na derrota por 2×0 no amistoso contra o Cerro Porteño).

 

As alterações influenciam na qualidade do elenco e no estilo de jogo. Na lateral esquerda, Márcio Azevedo deve substituir Renan Lodi, o que muda o estilo de jogo. A técnica e velocidade não são similares e, provavelmente, forçará o Furacão a buscar mais coletividade no setor ofensivo.

 

Possível Flamengo

 

O clube carioca fez um treino aberto para a imprensa na manhã dessa segunda-feira (8), diferente do rival paranaense, que treinou de portões fechados. Durante o treino de posicionamento foram usados os seguintes jogadores: Rafinha, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuéllar, Diego, Vitinho e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. Provavelmente o time titular contra o Athletico.

 

Apesar do elenco caro e com muitas estrelas, o Flamengo ainda não atendeu as expectativas da imprensa e da torcida neste ano. Mesmo que o desempenho do clube esteja positivo, ocupando a terceira colocação no Brasileirão com 17 pontos, campeão carioca contra o rival Vasco e disputando as oitavas de final da Copa Libertadores contra o Emelec.

 

Realidade parecida com o Athletico, que também foi campeão estadual (time de aspirantes) e disputa as oitavas de final da Libertadores contra o Boca Juniors. A diferença é o desempenho no Brasileirão, já que o Furacão está em 12° com dez pontos.

 

Os clubes compartilham um momento parecido, tanto nos resultados das competições que disputam quanto nas expectativas e dúvidas que geram para os resultados futuros na temporada. A vantagem atleticana está no fator casa, com um histórico positivo na Arena da Baixada.

 

Boa retrospectiva no Caldeirão

 

O aniversário de vinte anos da Arena foi no mês passado e, nessas duas décadas, o Flamengo venceu apenas uma vez, em 2011, pela Copa Sul-Americana, 1×0 com gol de Ronaldinho Gaúcho.

 

O Athletico soma 13 vitórias, além dos cinco empates. Entre opiniões e dúvidas, as estatísticas apontam que uma coisa é certa, o Flamengo tem dificuldade para vencer na capital paranaense. Ou, em outras palavras: em dia de Furacão, urubu não voa.

Veja também