Em busca do impossível

Compartilhe

Boca Juniors jamais foi eliminado da Copa Libertadores após vencer a primeira partida fora de casa em mata-matas

“Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez” 

 

A frase do filósofo francês Jean Cocteau foi muito atribuída para o presidente Mário Celso Petraglia nas construções das Arenas, em 1999 e 2014. Ela andava um pouco sumida, mas terá que ser trabalhada novamente nessa semana. O Athletico enfrentará um desafio (quase) impossível na próxima semana, em La Bombonera. Terá que fazer história para si e poderá fazer algo nunca antes visto na história da Copa Libertadores, após perder por 1 a 0 em casa.

 

Não há nenhum precedente na história da Libertadores da América aonde o Boca Juniors venceu a primeira partida jogando fora de casa e foi eliminado diante de sua torcida, em La Bombonera. O único caso que bateu na trave aconteceu na final de 2001. Contra o Cruz Azul-MEX, o time comandado por Carlos Bianchi e Juan Román Riquelme venceu a primeira partida por 1 a 0. Na volta, em Buenos Aires, os mexicanos devolveram o placar. Mas nos pênaltis brilhou a estrela do goleiro colombiano Óscar Córdoba, garantindo o quarto título da competição para os xeneizes.

 

O histórico do Boca Juniors em mata-matas contra brasileiros também é amplamente favorável a eles. Em 18 confrontos de ida e volta, o Boca venceu 15, só perdeu três e nunca antes da semifinal. Em 2008, o Fluminense empatou fora e venceu em casa para ir às finais. Já em 1963 e em 2012, os argentinos foram derrotados na final para Santos e Corinthians. Nos três triunfos, apenas o Santos de Pelé – que marcou na partida – venceu o Boca em La Bombonera.

 

Contra um gigante sulamericano, o time de Tiago Nunes já repetiu a história que só Pelé conseguiu. Em competições CONMEBOL, só o Santos de Pelé havia feito três gols no Peñarol, jogando fora de casa. Foi no jogo desempate da final de 1962, quando os santistas bateram os uruguaios por 3 a 0. O feito foi repetido no ano passado, na Sulamericana, quando o Furacão bateu o pentacampeão da Libertadores por 4 a 1, em Montevidéu.

 

O Athletico também tentará ser a sexta equipe brasileira a bater o Boca dentro de casa, na Libertadores. Apenas Santos, Cruzeiro, Paysandu, Fluminense e Palmeiras conseguiram o feito dentro da competição continental. Em mata-matas, o Paysandu conseguiu o feito por 1 a 0 na primeira partida, mas acabou perdendo em Belém, por 4 a 2 e foi eliminado da competição. Tirando o Santos, campeão em 1963, todos os outros jogos foram válidos pela fase de grupos.

 

“Estamos num clube que é do contra, que gosta de desafios. Tenho certeza que depois que classificamos no Maracanã, ninguém tem coragem de dizer que não é possível”, Tiago Nunes

Veja também