O Athletico já tem um elenco. Novos reforços precisam oferecer algo diferente

Compartilhe

Saídas de titulares precisam de reposições respeitáveis

Há aproximadamente uma semana, o Athletico sondou a situação do zagueiro Alexander Barboza, que teve o Defensa y Justicia como seu último clube. A negociação, de cifras altas e envolvendo um dos defensores mais promissores da América do Sul, foi uma ótima resposta do Furacão ao mercado, visto que o assédio envolvendo diversos jogadores nos últimos meses têm sido forte. Barboza escolheu outro destino, o que não é culpa do Athletico. Mas e a consequência?

 

O Furacão contratou Pedro Henrique nos dias seguintes, o que foi um tapa na cara do torcedor no sentido de ambição. O novo reforço pode até apresentar bom nível atuando por aqui, porém, caso essa tenha sido a alternativa para uma potencial substituição a Léo Pereira, chega a ser ofensivo. E, pensando de forma mais caseira, também torna a opção de emprestar Éder, que fez um ótimo Paranaense, ilógica.

 

A diretoria do Athletico não precisa gastar todos os incontáveis milhões de reais que entrarão nos caixas com as vendas de suas promessas, como já começou a acontecer com Lodi. E nem deve, já que existem dívidas a serem pagas e esse pode ser um bom momento nesse sentido. Ainda assim, o dinheiro precisa ser utilizado para reposições que agreguem de alguma forma. Já que, em termos de elenco e de núcleo jovem em desenvolvimento, estamos muito bem servidos.

 

Pedro Henrique, por exemplo, não fez o suficiente na carreira para ameaçar o tempo de campo de Lucas Halter. Ou Nenê, que já foi especulado, não vive um momento suficientemente bom para pular na frente de jogadores como Erick, Rossetto e Léo Cittadini na fila da titularidade. Nikão pode sair, e não será justo contratar qualquer coisa quando temos os bons Jáderson e Pedrinho no time de aspirantes, além de João Pedro, que está emprestado. Se chegar alguém, tem que ser de alto nível.

 

O peso de um título sul-americano deixou o Athletico bastante visado internacionalmente, principalmente por ter um elenco com diversos jovens valores. A busca europeia já começou, vai continuar e resta que a ambição da diretoria seja definida. Caso percamos todos os jogadores que estão sendo especulados já nesta janela internacional, até podemos continuar a temporada sem reforços que elevem o nível, e ainda assim provavelmente teríamos um Brasileirão tranquilo, sem, é claro, brigar pelos títulos de Libertadores e Copa do Brasil. Entretanto, é isso o que queremos? Por mais notícias envolvendo Barboza’s, e com menos Nenê’s.

Veja também