Rafael Guanaes ganha pontos ao se mostrar inconformado

Compartilhe

Fraco primeiro turno pode ter servido como combustível para localizar falhas e transformar a forma de jogar do Athletico

Durante o primeiro turno, após um empate contra o FC Cascavel, Rafael Guanaes chamou a atenção ao dar uma declaração pouco usual no meio do futebol. Na ocasião, após segurar um resultado tido como “bom”, visto que seu time foi amassado pelo adversário durante parte do jogo, Guanaes não poupou palavras. Disse que o FC Cascavel merecia vencer e que o Athletico precisava de muitas melhorias. É fato que não enxergamos essas mudanças no decorrer da Taça Barcímio Sicupira, e o auge do problema se deu na derrota para o Coritiba, quando o Furacão teve campo, tempo e superioridade numérica para construir o empate.

 

Porém, algo que devemos valorizar no comandante da equipe de aspirantes é sua aparente insatisfação. Se um progresso virtuoso não foi notado no primeiro turno, podemos acusar o calendário apertado, o pouco tempo de casa para o então recém-chegado técnico ou o elenco completamente modificado na comparação com o Estadual do ano passado. O fato, no momento, é que Guanaes parece ter aproveitado os 30 dias de trabalho, transformando-os em algo real. E já vimos por aqui alguns treinadores que não fizeram pausas no calendário valerem a pena.

 

O Athletico teve reforços para enfrentar o Toledo, porém boa parte do que já conhecíamos do time alternativo estava ali. Escalado no 3-4-3, o Furacão impressionou principalmente pela marcação no campo do adversário. Diversas oportunidades foram criadas a partir da pressão imposta pelos jogadores mais avançados e pela linha do meio-campo, que proporcionaram pesadelos para os defensores do Toledo. Os movimentos notados durante essa partida certamente não são aleatórios, e é possível notar que houve muito trabalho.

 

Na saída de bola, destaque para Christian, e, pelos lados, Khellven e Vitinho foram os grandes nomes da partida, apresentando qualidade técnica e diversidade nos gestos, tanto para centralizar quanto para buscar a linha de fundo. No ataque, houve algo curioso com Marquinho e Jaderson: enquanto o restante do time parecia muito bem definido no jogo de posição/tática, esses dois atletas tiveram maior liberdade para transitar, flutuar e ficar de olho nas sobras. É como se eles não tivessem exatamente uma posição fixa. O que foi notado com mais clareza nas movimentações de Marquinho, que “encontrou” dois gols com muita inteligência, observando a trajetória da jogada e ficando de olho em um possível desvio ou alguma sobra.

 

O Athletico de Guanaes surpreendeu a todos ontem. É evidente que o resultado é completamente atípico e não se tornará rotina. Entretanto, contra o Toledo, certas situações proporcionadas pelos aspirantes devem ser observadas por Tiago Nunes com bastante carinho. Não enfrentamos o time mais fraco do interior, como todos sabem. É claro que o campeão do primeiro turno teve uma tarde muito ruim, porém, é claro, existe muito mérito no que fizemos. Nas próximas rodadas vamos, de fato, descobrir e desvendar o que de fato aconteceu na vitóriade 8 a 2. No momento, entretanto, nos resta celebrar o possível recomeço de um grupo e de um treinador.

Veja também