Requerido pela torcida, Ravanelli valoriza briga por titularidade e espera sequência

Compartilhe

Meia-atacante está emprestado e tem contrato com o Furacão até fevereiro de 2021

Precisando reagir para fugir do rebaixamento, o Athletico aposta na força de seu elenco. Na vitória contra o Fortaleza, por exemplo, Carlos Eduardo saiu do banco e empatou a partida, Fernando Canesin também começou entre os reservas, mas participou do gol da virada que pôs fim ao jejum de 11 jogos sem vencer.

 

Requerido pela torcida nas redes sociais, o meia-atacante Ravanelli é uma das esperanças do Rubro-Negro. Contratado em agosto por empréstimo até fevereiro de 2021 junto ao Akmat Grozny, da Rússia, o jovem jogador de 21 anos espera por mais chances entre os titulares.

 

Rava, assim chamado carinhosamente pelos companheiros, estreou com o pé direito com a camisa do Furacão. Diante do Botafogo, pela 9ª rodada do Brasileirão, o camisa 14 entrou aos 35 do segundo tempo, quando o Athletico perdia para os cariocas em plena Arena da Baixada, e, aos 42, recebeu de Geuvânio e igualou o marcador, salvando os donos da casa de uma derrota.

 

Apesar do tento na estreia e alguns bons jogos, Ravanelli ainda não teve uma sequência no time titular. Hoje, para a posição, Autuori tem Jadson, Jorginho, Fernando Canesin, Léo Cittadini, Nikão e Bruno Leite. A dura concorrência não é um problema para o meia, pelo contrário.

 

“O grupo é muito bom. Vou dar o meu melhor nos treinos para o Autuori dar uma oportunidade, e assim entender que eu mereço estar entre os titulares. Manter uma sequência é muito importante para qualquer jogador”, comentou em entrevista exclusiva para o Portal Trétis.

 

Em três meses, Ravanelli fez 11 jogos com a camisa do Athletico, começando a partida apenas uma vez- contra o Atlético Goianiense. O jovem exalta as chances, mas acredita que pode convencer a comissão técnica que merece estar entre os titulares nos treinos.

 

“Fico feliz de ter tido essas oportunidades, ter entrado em alguns jogos nesses três meses e ter ajudado o Athletico, mas estou trabalhando forte todos os dias para conseguir meu espaço na equipe titular”, destacou.

 

Um dos problemas para Rava foi a troca de treinadores. Na época da contratação, Dorival Júnior era o comandante, e desde então já passou Eduardo Barros até vir Paulo Autuori. O jogador acredita que a falta de continuidade no comando pode o ter atrapalhado, mas o trunfo para conseguir as sonhas chances é um só.

 

“Cheguei quando era o Dorival, mas trabalhei pouco tempo com ele. Depois, veio o Eduardo Barros, agora o Paulo (Autuori), isso acaba atrapalhando um pouco. Mas tenho claro na minha cabeça que para buscar um espaço na equipe titular, preciso mostrar para o treinador que tenho capacidade”, falou.

 

Por fim, Ravanelli revelou o desejo de seguir no Athletico ao término do empréstimo. O Furacão tem preferência na compra do jogador, mas ainda não procurou seu estafe.

 

“Ainda não fui procurado, enquanto isso vou trabalhando e dando o meu melhor. Quero ajudar, ter uma sequência e assim ter mais chances de continuar no clube”, finalizou.

Veja também