“Vantagem não é determinante, mas é importante”

Compartilhe

Tiago Nunes pretende impor estilo de jogo no Beira-Rio e fala sobre a final parelha na Copa do Brasil

Após a vitória por 1 a 0 na primeira partida da decisão da final da Copa do Brasil, o técnico Tiago Nunes comentou em entrevista coletiva que a vantagem conquistada pelo Furacão é “não é determinante, mas é importante” e que pretende manter o estilo de jogo do Athletico para não sofrer no Beira-Rio.

 

“A vantagem pode acabar num chute no primeiro minuto. Passamos por isso contra o Grêmio (na semifinal). Se a gente jogar pensando na vantagem, teremos dificuldades”, afirmou.

 

O técnico também citou as experiências de pressão passadas pelo elenco neste ano, como os jogos em La Bombonera, Monumental de Núñez, Maracanã e Arena do Grêmio, todos com estádios lotados.

 

“A gente já sofreu muito esse ano, vários cenários de pressão e sinto que estamos preparados para fazer um grande jogo na volta”

 

Tiago Nunes fez questão de citar a Recopa. Na ocasião, o Athletico encarou o River Plate e venceu na Arena da Baixada por 1 a 0, mas deixou escapar o título em Buenos Aires, quando perdeu por 3 a 0 e tomou dois gols no final da partida. Segundo o técnico, o aprendizado daquela competição foi absorvido.

 

“O jogo contra o River pra nós foi de muitos ensinamentos. O Athletico vem aprendendo com cada situação”

 

O técnico também aproveitou para falar sobre uma foto que foi divulgada essa semana pela Rede Massa onde ele está ao lado de Geninho, técnico Campeão Brasileiro pelo Athletico em 2001, e elogiou o trabalho de outros ex-treinadores rubro-negros como Vadão, Pepe e Paulo Autuori.

 

“Sobre o mestre Geninho, eu não lembrava dessa foto. Como são as coisas do destino. Eu fui lá pedir pra tirar uma foto com ele e nem sei como essa foto foi parar nas redes. Tenho que verificar com minha família (risos). Eu sou consequência de um monte de treinadores que vieram antes de mim. Esses caras tiveram uma missão muito mais difícil que a minha”.

 

O treinador fez ontem seu 88° jogo no comando do Furacão, o 72° pelo time principal. No final de semana, ele já havia batido o número de jogos do próprio Paulo Autuori, que fez 86 jogos como técnico atleticano entre 2016 e 2017.

Veja também